Está aqui

Adeus leitores, bom dia consumidores

POSTED BY: TdQ | Qui, 22/05/2014 - 06:37

“Nem leitores, nem anunciantes. Os leitores são consumidores, os anunciantes são clientes”, anuncia a nova ceo da Future. 

Media Customer Engagement

Os media a atrair consumidores

Uma vez, noutra galáxia, quiseram reciclar-me de “chefe de redacção” em “chefe da produção noticiosa”. Fiquei tão ofendido que em menos de 6 meses deixei o jornalismo.

Agora, passados 30 anos, constato que os clássicos “editor-in-chief” se estão a transformar em “chief content officer”, ou, para citar David Hepworth, o “master chef” do Jornalismo passou a ser o “catering officer”.

A analogia não é simpática.

Vem este paleio saudosista a propósito das primeiras declarações feitas por Zillah Byng-Maddick, a nova ceo de Future plc, a editora britânica de revistas de nichos de mercado cotada na bolsa.

Disse a senhora que vai substituir as redacções autónomas das várias publicações (ciclismo, informática, cinema, música, etc.) por uma única redacção comum a todas, o que deve fazer alguma confusão aos jornalistas “especializados” e tornar os conteúdos menos técnicos.

Parafraseando o par Ries, estaremos perante mais um sinal da queda do especializado e a ascensão do superficial? Os Media do próximo futuro responderão a esta inquietação.

Mas, para efeitos do âmbito da disciplina de RP, o que se me afigura mais interessante nas declarações de ZB-M é a seguinte frase: o objectivo é atrair grandes comunidades de consumidores altamente engajados que querem comprar coisas e que são por isso excepcionalmente apelativas para os nossos clientes.

A versão no inglês original: “our expert, trusted content enables us to attract large communities of highly engaged customers who want to buy things, and that’s exceptionally appealing to our clients”.

Repararam: nem leitores, nem anunciantes. Os leitores são consumidores, os anunciantes são clientes.

Para aqueles que, como eu, acompanham activamente a evolução do mercado do Q não é nada de novo. Digamos mesmo que é exactamente aquilo que uma empresa vizinha da LPM, a NewsEngage, tem procurado fazer. Mas não deixa de ser sintomático identificar uma flagrante coincidência de linha estratégica entre consultores de Public Relationas e editoras de publicações jornalísticas. 

Este post foi originalmente publicado por Luís Paixão Martins no blogue A Teoria do Q