Está aqui

O "Gone Girl" e as regras da Comunicação de Crise

POSTED BY: TdQ | Ter, 21/10/2014 - 12:15

Diz o ditado que “a verdade é como o azeite”. Mas às vezes (ou a maioria delas) este “vir ao de cima” demora mais tempo do que aquele que a reputação pode suportar. Que o diga Nick Dunne.

Estabelecer credibilidade assumindo a responsabilidade, e seguir em frente. Quando a crise estala, há que ter coragem de a enfrentar de caras e agir rapidamente, antes que outros o façam por nós, lenta e dolorosamente. 

A história de Nick Dunne, personagem interpretada por Ben Affleck no brilhante Gone Girl, é a representação ficcional de um fenómeno real no mundo da Comunicação.

Com o desaparecimento da mulher, Nick vê-se envolvido numa espiral de acontecimentos que passam da esfera privada para a pública a uma velocidade estonteante. A sua vida é escrutinada pelos meios de comunicação social até à exaustão, e sem direito a julgamento nem possibilidade de defesa, Nick é acusado pelo mais implacável dos tribunais: o da opinião pública.

gone girl

Gone Girl: "Amid all this chaos are essential lessons about crisis communications."

O PR Daily olhou para o filme como todos nós, profissionais da Comunicação, provavelmente olhámos. Entre a surpresa e a incredulidade - à medida que o carácter da personagem feminina se ia revelando (mais um ou dois AVCs na cena do x-acto) -, os nossos cérebros analisavam pormenores quase imperceptíveis ao comum dos mortais.

Perseguido por erros do passado e acções de outrem, que não pode controlar, após alguns erros Nick Dunne acaba por ser capaz de influenciar percepções ao seguir as regras fundamentais da Comunicação de Crise. Para ler aqui.

Este conteúdo foi seleccionado por Patrícia Miranda Corrêa para o blogue A Teoria do Q.