Está aqui

Porque é que os jornalistas detestam os RP?

POSTED BY: TdQ | Ter, 07/10/2014 - 21:09

Porque é que os jornalistas não hão de gostar de alguém que os quer ajudar? E porque é que alguns destes jornalistas chegam a temer a hora de abrir a caixa de email? Provavelmente, porque estamos a fazer alguma coisa mal.

O tema não é novo: Journalism VS Public Relations. Mas histórias de amor como esta são das que mais dão que falar.

Por aqui, parece que ando a tropeçar no tema. Uma noite destas já tarde folheava o meu mais recente vício, “No Limiar da Eternidade” de Ken Follett, e eis que:

Ken Follett

“No Limiar da Eternidade”, Ken Follett

Ri-me do cliché (na página 397 deste livro estamos em 1963). Ri-me por ser de facto um cliché, e por ser ao mesmo tempo tão actual, pensei. É giro porque aqui os papéis invertem-se e o bad guy é o jornalista, que fica mal na fotografia por enganar a fonte e o RP, e ainda se sentir “orgulhoso” disso. Ri-me outra vez, tirei uma fotografia e partilhei (com pouco engagement dada a hora tardia, gosto de acreditar). 

Não voltei a pensar no assunto, quando eis que: o PR Daily decide abordar o tema num novo artigo. Estava decidido, não há coincidências. E cá estamos.

O artigo do PR Daily é interessante, a começar pela escolha do ângulo. Depois porque fala de casos reais, e mostra tuítes recentes de jornalistas a expressar desagrado quanto à forma como são abordados por alguns profissionais de RP. Quase que se sente o ódio (a palavra “hate” chega a ser usada). 

E aqui voltei a pensar no assunto. Porque ainda que, na maioria das vezes, eu considere injusta e extremanete exagerada a maneira como alguns jornalistas se sentem ofendidos com as abordagens dos RP, a verdade é que até os consigo perceber. Porque realmente às vezes é demais.

Conclusão: alguma coisa estamos a fazer mal. Se por um lado as RP, principalmente devido à revolução do digital, estão a sofrer uma mutação (há quem lhe chame “a queda e a ascensão não sei do Q”); por outro, continuamos a ter como base práticas usadas há décadas, nomeadamente no que toca à relação com os jornalistas. 

Kim Cox, que assina o artigo no PR Daily, defende: “Those who are new to the industry would do well to question the strategies used in the past. It seems as though what’s fundamentally wrong with PR is that no one is thinking for themselves, no one is using common sense to realize that something or everything isn’t working.” E eu sublinho.

Não acredito (ainda) que a solução seja matar o Comunicado de Imprensa, mas acredito que é preciso evoluir. E evoluir significa questionar o que até agora temos aceite como única maneira de fazer as coisas. Sem ter receio de mudar.

“Reporters hate PR professionals. Let’s change that.”

hate

Há mais de nós a precisar deles, do que deles a precisar de nós.

Este conteúdo foi seleccionado por Patrícia Miranda Corrêa para o blogue A Teoria do Q