Está aqui

Porque Thatcher se vestia assim e outros mistérios

POSTED BY: TdQ | Seg, 13/10/2014 - 15:43

Tim Bell relata a sua vida profissional desde o tempo dos irmãos Saatchi até à Bell Pottinger Private. 

Tim Bell book

“I was a PR man”

Solucionei no fim-de-semana um dos maiores mistérios do Marketing Político do nosso tempo: a pessoa que escolhia a roupa de Margaret Tatcher era já septuagenária quando a “dama de ferro” se lançou à conquista do partido conservador e dos eleitores ingleses.

Chamava-se Dame Guinevere Tilney, era casada com Sir John Tilney, e exercia as funções de “wardrobe mistress” em pro bono.

Aquela que viria a ser uma das políticas mais importantes do final do século passado não considerava que o que vestia tivesse de seguir os padrões profissionais que dedicava ao restante tratamento da sua imagem.

Fica assim “explicado” aquele ar vitoriano e doméstico que contrastava com a dinâmica e a energia da acção e da narrativa de Tatcher, a qual rompia então, em termos comunicacionais, com o status quo britânico ao contratar os serviços da agência de publicidade Saatchi & Saatchi.

Descobri o pormenor ao ler “Right or Wrong: The Memoirs of Lord Bell”, a entusiasmante autobiografia de Tim Bell, um dos fundadores da conhecida casa de RP Bell Potinger.

Bell, então ainda não “Lord”, era uma espécie de director executivo da agência (onde, além de Charles e de Maurice Saatchi, também trabalhou Martin Sorrell, em vésperas de criar o mega grupo WPP), e ser um dos principais conselheiros de Tatcher acentava que nem uma luva ao seu perfil conservador.

Foi assim que ganhou uma enorme notoriedade no mercado anglo-saxónico, muitos clientes, alguns inimigos e vários adversários. Dentre estes, pelos vistos, os próprios irmãos Saatchi que, a certa altura, o empurraram para fora da empresa, levando-o a associar-se a Frank Lowe, outro clássico da publicidade inglesa.

o ambiente da Saatchi & Saatchi descrito por Tim Bell é muito Mad Man - bebidas, tabaco e noitadas

E foi quando Lowe se fartou do associado que lhe “impingiu” o modesto, aborrecido e desinteressante negócio das RP. Estava-se em Setembro de 1989 e nascia o grupo Bell Potinger ligando já então as marcas Lowe Bell Financial Services, Good Relations, GR Design e NML.

Now, at last – in my mid-40s – I knew what I was. I was a PR man”, escreve Tim Bell.

Não quero estragar a leitura àqueles que se interessam por estes assuntos (o ambiente da Saatchi & Saatchi descrito por Tim Bell é muito Mad Man - bebidas, tabaco e noitadas), mas faço questão de assinalar (roído de inveja) que, no auge do trabalho com Thatcher, Bell foi convidado para ir a Washington apresentar as linhas mestras do seu trabalho numa sessão fechada em que participaram todos os candidatos presidenciais republicanos, isto é, Gerald Ford (então presidente), John Connally (governador do Texas, foi baleado ao lado de Kennedy), Howard Baker, John Anderson e… um actor de Hollywood.

Na altura ainda não se faziam selfies.

Este apontamento foi originalmente publicado por Luís Paixão Martins no blogue A Teoria do Q