Está aqui

PR pros, e se a nossa vida fosse uma série de TV?

POSTED BY: TdQ | Sex, 14/11/2014 - 16:08

Se a vida fosse uma série de TV, quem escolheria para interpretar o seu papel? Descubra qual a personagem de RP que mais se identifica consigo neste QUIZ  especial, criado pelo PR News. 

Se a vida aqui no Q fosse uma série, eu agora não estava a escrever este post porque estava a atender uma chamada urgente da Casa Branca - enquanto passeava por Washington, com um copo do Starbucks numa mão e o telefone na outra, a responder “it’s handled!”.

“A minha vida dava um filme” é o tipo de coisa que eu digo, em média, 7 sete vezes ao dia. O que, agora que penso melhor, é na verdade redutor (um filme tem no máximo o quê, 3 horas? Pois.). Pensar que a minha vida dava uma série de TV norte-americana é muito mais interessante.

“A minha vida dava uma série americana daquelas em que a personagem principal trabalha em RP e se veste super bem”, é mais isto.

De preferência se for uma série daquelas em que a personagem principal tem um gosto requintado, que se reflecte no seu belo guarda-roupa. 

Mas qual personagem, concretamente? Ora o PR News responde à pergunta com um QUIZ criado especialmente para PR pros, que nos permite fazer o casting e descobrir quem melhor interpretaria o nosso papel, caso a vida de repente se transformasse numa série de televisão. 

Já reparámos que as RP estão na moda. E se antes nos queixávamos de que a Samantha Jones do Sex and the City era um mau exemplo do que é ser Realções Públicas, agora temos todo um novo conjunto de personagens para ajudar a explicar ao mundo que coisa estranha é esta das RP (ou não sei o Q).

Olivia Pope e os seus Gladiadores (Scandal), ou Frank e Claire Underwood (House of Cards), são alguns dos nomes que vieram trazer classeglamour mas também um pouco de darkness à profissão. 

Comece o fim-de-semana a brincar e faça aqui o QUIZ  para saber que personagem mais se identifica consigo. Nós já sabemos.

olivia pope

Which PR character are you?

Este conteúdo foi seleccionado por Patrícia Miranda Corrêa para o blogue A Teoria do Q.