Está aqui

A sentir-me importante com mais 2 páginas do Miguel Carvalho

POSTED BY: TdQ | Qui, 09/10/2014 - 10:43

Os leitores da “Visão” devem estar a perguntar-se: mas quem é este figurão que aparece aqui todas as semanas?

luís paixão martins visão

“Carago mete mas é aí uns filtros malandros na cara do gajo”

E à terceira semana - perante a minha persistência - a “Visão” publica os factos.

Eu sei que tudo aquilo é um romance mas os leitores da Visão, coitados, devem estar habituados aos romances de Miguel Carvalho. Muita parra e nenhuma uva. Sim, é assim, a produzir estas coisas, que ele consome uma semana de trabalho. 

E também sei que a edição surge aprimorada com uma tripla manipulação fotográfica. O “jornalismo dos cozinhados” não se limita a empregar filtros nos textos.

De qualquer forma, no meio do arvoredo ficcional do medíocre “investigador” que sonha, todas as noites, com o seu “Gaiagate”, lá aparecem os dados essenciais, a saber:

  1. o montante recebido da empresa municipal de Gaia foi de 20 mil euros (20 mil euros…) , isto é, cerca de 10% dos montantes referidos no blogue que a “Visão” replica;
  2. foi uma contrapartida de serviços confirmadamente prestados (até, imaginem, confirmados pela Visão, embora a contragosto) e como tinha ocorrido em anos anteriores (que não eram eleitorais);
  3. e não houve qualquer envolvimento na campanha de Menezes à CM Porto.

Recordo que tudo isto começou, no século passado, perdão, no mês passado, pelo lançamento da suspeita de que tinham sido feitos dois contratos em Gaia cuja contrapartida financeira em dinheiros públicos se destinaria a pagar o envolvimento na referida campanha eleitoral.

Vai-se a ver e um dos contratos não foi concretizado e o outro apenas o foi parcialmente, exactamente em consequência das vicissitudes da empresa municipal entretanto em processo de extinção. Montante em causa: 20 mil euros. As empresas que a Visão identifica como minhas (quem me dera…) facturam uns 10 milhões de euros por ano.

E, para desgosto máximo do infeliz Miguel Carvalho, é impossível sustentar a suspeita inicial de colaboração na campanha de Menezes exactamente porque - azar dos azares - estivemos envolvidos numa campanha concorrente. Read my lips: C - O - N - C - O - R - R - E - N - T - E.

Aliás, o artigo tem uma conclusão maravilhosa. Depois de todas as tretas serem desmontadas pelos factos apurados pelo próprio Miguel Carvalho, este finaliza: “As suspeitas existem”.

Os leitores da “Visão” já devem estar habituados ao estilo “os factos desmentem que o Miguel Carvalho receba uma avença contratada por ajuste directo para me atacar mas as suspeitas existem e espero que a PJ investigue”.

Fiquei apenas com pena de não ter sido proporcionado aos leitores da “Visão” o devido enquadramento jornalístico (mas pedir jornalismo a Miguel Carvalho é, pelos vistos, pedir demais): quais os ajustes directos entretanto contratados (montantes e empresas) pela actual equipa da CM Gaia? A isso não respondeu o militante nº 46815 do PS

Enfim, espero que me seja dada a oportunidade de voltar a este tema na próxima semana. E aviso desde já a direcção da “Visão” que tudo o que seja menos de 2 páginas por cada post meu é pouco. Obrigado.

 Este apontamento foi originalmente publicado por Luís Paixão Martins no blogue A Teoria do Q